XI Palavras clássicas sobre entrar na realidade da verdade

XI Palavras clássicas sobre entrar na realidade da verdade

(XII) Palavras sobre conhecer Deus

149. A crença em Deus é o primeiro passo para conhecê-Lo. O processo de avançar dessa crença inicial em Deus até a crença mais profunda Nele é o processo de vir a conhecer a Deus e o processo de experimentar a Sua obra. Se você só acreditar em Deus apenas por acreditar, e não pelo bem de vir a conhecê-Lo, então, sua fé não é real e ela não pode tornar-se pura — quanto a isso, não há dúvida. Se, durante o processo pelo qual experimenta a obra de Deus, o homem gradualmente O vier a conhecer, então, seu caráter mudará gradualmente e sua crença se tornará cada vez mais verdadeira. Dessa forma, quando o homem alcançar o sucesso na fé em Deus, ele terá ganhado Deus por inteiro. A razão pela qual Deus Se empenhou tanto para Se tornar carne pela segunda vez para realizar pessoalmente a Sua obra foi para que o homem fosse capaz conhecê-Lo e vê-Lo. Conhecer a Deus[a] é o efeito final a ser alcançado no término de Sua obra; é a última exigência que Deus fez para a humanidade. A razão pela qual Ele faz isso é para o bem de Seu testemunho final; é para que o homem possa, por fim e completamente, converter-se Àquele que faz essa obra. O homem só pode vir a amar a Deus conhecendo-O e, para amá-Lo, ele deve conhecê-Lo. Não importa como ele busque ou o que busque ganhar; ele deve ser capaz de alcançar o conhecimento de Deus. Só assim o homem pode satisfazer o coração de Deus. Somente conhecendo a Deus, o homem pode ter verdadeira fé Nele e, somente O conhecendo, ele pode reverenciá-Lo e obedecer-Lhe de verdade. Aqueles que não conhecem a Deus nunca chegarão à verdadeira obediência e reverência a Deus. Conhecer a Deus inclui conhecer o Seu caráter, entender a Sua vontade e saber o que Ele é. No entanto, qualquer aspecto que alguém chegue a conhecer, cada um requer que o homem pague um preço e requer a vontade de obedecer, sem a qual, ninguém seria capaz de continuar seguindo até o fim.

de ‘Somente aqueles que conhecem a Deus podem testemunhar Dele’ em “A Palavra manifesta em carne”

150. O que você deveria saber sobre o Deus prático? O Espírito, a Pessoa e a Palavra constituem o Próprio Deus prático, e esse é o verdadeiro significado do Próprio Deus prático. Se você conhece apenas a Pessoa — se conhece Seus hábitos e Sua personalidade —, mas não conhece a obra do Espírito nem o que o Espírito faz na carne, e se só presta atenção no Espírito e na Palavra e ora apenas ante o Espírito, sem ter conhecimento da obra do Espírito de Deus no Deus prático, então, isso ainda prova que você não conhece o Deus prático. O conhecimento do Deus prático inclui conhecer e experimentar Suas palavras e compreender as regras e os princípios da obra do Espírito Santo, e como o Espírito de Deus opera na carne. Portanto, também inclui saber que toda ação de Deus na carne é dirigida pelo Espírito e que as palavras que Ele diz são a expressão direta do Espírito. Assim, se você deseja conhecer o Deus prático, deve saber primeiramente como Deus opera em humanidade e em divindade; isso, por sua vez, diz respeito às expressões do Espírito com as quais todo mundo se envolve.

de ‘Você deveria saber que o Deus prático é o Próprio Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”

151. O ser e as posses de Deus, a essência de Deus, Seu caráter — tudo se deu a conhecer em Suas palavras para a humanidade. Quando experimentar as palavras de Deus, o homem entenderá, no processo de executá-las, o propósito por trás das palavras que Deus profere, compreenderá a fonte e o contexto das palavras de Deus e entenderá e apreciará o efeito pretendido das palavras de Deus. Para a humanidade, essas são todas coisas que o homem deve experimentar, entender e acessar para aceder à verdade e à vida, entender as intenções de Deus, ser transformado em seu caráter, e tornar-se capaz de obedecer à soberania e arranjos de Deus. Ao mesmo tempo em que o homem experimentar, entender e acessar essas coisas, ele terá gradualmente obtido um entendimento de Deus e, nesse momento, ele também terá obtido graus diferentes de conhecimento sobre Ele. Esse entendimento e conhecimento não vêm de algo que o homem imaginou ou compôs, mas do que ele aprecia, experimenta, sente e corrobora dentro de si. Só após apreciar, experimentar, sentir e corroborar essas coisas é que o conhecimento que o homem tem de Deus adquire conteúdo; só o conhecimento que ele obtém nesse momento é real, verdadeiro e exato, e esse processo — de alcançar um entendimento e um conhecimento genuínos de Deus pela apreciação e experiência, pelo sentir e corroborar Suas palavras — não é outra coisa senão a verdadeira comunhão entre Deus e o homem. No meio desse tipo de comunhão, o homem vem verdadeiramente a entender e compreender as intenções de Deus, vem verdadeiramente a entender e conhecer o ser e as posses de Deus, a essência de Deus, vem gradualmente a entender e conhecer o caráter de Deus, chega à verdadeira certeza e correta definição do fato do domínio de Deus sobre toda a criação, e obtém um rumo substancial para o conhecimento da identidade e posição de Deus. No meio desse tipo de comunhão, o homem muda, passo a passo, suas ideias sobre Deus, não mais imaginando-O do nada nem dando rédeas a suas próprias suspeitas sobre Ele, ou entendendo-O mal, condenando-O ou julgando-O, ou duvidando Dele. Em consequência, o homem terá menos debates com Deus, terá menos conflitos com Deus e haverá menos ocasiões para que se rebele contra Deus. Em contrapartida, o cuidado por Deus e obediência do homem a Deus crescerão e sua reverência a Deus se tornará mais real assim como mais profunda. No meio desse tipo de comunhão, o homem não somente alcançará a provisão da verdade e o batismo da vida, mas, ao mesmo tempo, alcançará verdadeiro conhecimento de Deus. No meio desse tipo de comunhão, o homem não somente será transformado em seu caráter e receberá a salvação, mas, ao mesmo tempo, também adquirirá a verdadeira reverência e adoração de um ser criado para com Deus. Tendo tido esse tipo de comunhão, a fé do homem em Deus não mais será uma página em branco, ou uma promessa oferecida da boca para fora, ou uma forma de busca cega e idolatração; somente com esse tipo de comunhão a vida do homem crescerá em maturidade dia após dia e só então seu caráter gradualmente será transformado, sua fé em Deus passará, progressivamente, de uma fé incerta e vaga à obediência e cuidado genuínos, a uma real reverência, e o homem também, em sua busca por Deus, gradualmente progredirá de uma instância passiva para uma ativa, de alguém que sofre a ação para alguém que age positivamente; somente com esse tipo de comunhão o homem chegará à verdadeira compreensão e entendimento de Deus, ao verdadeiro conhecimento de Deus.

de ‘Conhecer Deus é a senda para temer a Deus e evitar o mal’ em “A Palavra manifesta em carne”

152. Durante o seu tempo de seguir a Jesus, Pedro tinha muitas opiniões sobre Ele e sempre O julgou a partir da sua própria perspectiva. Embora ele tivesse um certo grau de compreensão do Espírito, Pedro não estava muito iluminado, daí suas palavras quando ele disse: “Eu devo seguir aquele que é enviado pelo Pai celestial. Eu devo reconhecer aquele que é escolhido pelo Espírito Santo”. Ele não entendeu as coisas que Jesus fazia e não recebeu iluminação. Depois de segui-Lo por algum tempo, ele ficou mais interessado no que Ele fazia e dizia, e no Próprio Jesus. Ele chegou a sentir que Jesus inspirava afeição e respeito; ele gostava de se associar a Ele e de estar ao Seu lado, e ouvir as palavras de Jesus dava a ele suprimento e ajuda. Durante o tempo em que ele seguiu a Jesus, Pedro observou e guardou em seu coração tudo sobre a vida Dele: Suas ações, palavras, movimentos e expressões. Ele ganhou uma compreensão profunda de que Jesus não era um homem comum. Conquanto Sua aparência humana era excessivamente comum, Ele era cheio de amor, compaixão e tolerância para com o homem. Tudo o que Ele fez ou disse era de grande ajuda para os demais, e ao Seu lado Pedro viu e aprendeu coisas que ele nunca tinha visto ou tido antes. Ele viu que, embora Jesus não tivesse uma grande estatura nem uma humanidade incomum, Ele tinha um ar ao Seu redor verdadeiramente extraordinário e incomum. Embora Pedro não pudesse explicar totalmente, ele podia ver que Jesus agia diferentemente de todos os demais, pois Ele fazia as coisas de modo muito diferente do que era feito pelo homem comum. A partir de seu tempo em contato com Jesus, Pedro também percebeu que Seu caráter era diferente do caráter do homem comum. Ele sempre agia com constância e nunca com pressa, nunca exagerava nem subestimava uma questão, e conduzia Sua vida de um modo que era ao mesmo tempo normal e admirável. Na conversação, Jesus era elegante e gracioso, aberto e animado, contudo, sereno, e nunca perdeu Sua dignidade na execução de Seu trabalho. Pedro viu que Jesus, por vezes, era taciturno, porém, em outras ocasiões, falava incessantemente. Às vezes, Ele estava tão feliz que Ele se tornava ágil e vivaz como uma pomba, outras vezes, porém, ele estava tão triste que Ele não queria falar de modo algum, como se Ele fosse uma mãe sofrida pelo tempo. Às vezes, Ele estava cheio de raiva, como um soldado valente atacando para matar inimigos e, às vezes, até mesmo como um leão rugindo. Por vezes, Ele gargalhava; outras vezes Ele orava e chorava. Não importando como Jesus agia, Pedro cresceu ao ponto de ter um amor e respeito sem limites por Ele. A gargalhada de Jesus o encheu de alegria, Sua tristeza o lançou na tristeza, Sua raiva o assustou, ao passo que Sua misericórdia, perdão e severidade fizeram com que ele viesse a amar a Jesus de verdade, desenvolvendo uma reverência e um anseio verdadeiros por Ele. É claro que Pedro somente chegou a perceber tudo isso gradualmente, depois de ter vivido ao lado de Jesus por poucos anos.

de ‘Como Pedro chegou a conhecer Jesus’ em “A Palavra manifesta em carne”

153. Pedro seguiu Jesus por vários anos e viu muitas coisas em Jesus que as pessoas não têm. Após segui-Lo por um ano, ele foi escolhido como o líder dos doze discípulos por Jesus. (Claro que isso era uma questão do coração de Jesus, e as pessoas eram completamente incapazes de ver isso.) Cada movimento de Jesus funcionava como exemplo para ele em sua vida, e os sermões de Jesus ficaram particularmente gravados em seu coração. Ele era muito atencioso e dedicado a Jesus, e ele nunca teve queixas de Jesus. É por isso que se tornou o fiel companheiro de Jesus em todos os lugares aonde Ele foi. Pedro observou os ensinamentos de Jesus, Suas gentis palavras e o que Ele comia, vestia, Sua vida diária e Suas viagens. Ele seguiu o exemplo de Jesus em todos os sentidos. Ele não era presunçoso, mas rejeitou todas as suas coisas antiquadas de antes e seguiu o exemplo de Jesus em palavras e ações. Foi então que ele sentiu que os céus e a terra e todas as coisas estavam nas mãos do Todo-Poderoso, e por essa razão ele não tinha escolha própria, mas absorveu tudo o que Jesus era para agir como exemplo para ele. Ele conseguia enxergar em sua vida que Jesus não era presunçoso naquilo que Ele fazia, nem Se gabava de Si mesmo, mas, em vez disso, Ele comovia as pessoas com amor. Em diferentes situações, Pedro conseguia ver o que Jesus era. É por isso que tudo em Jesus se tornou o objeto que Pedro seguia como exemplo. Em suas experiências, ele sentiu cada vez mais a amabilidade de Jesus. Ele disse algo assim: “Procurei o Todo-Poderoso no universo e vi as maravilhas dos céus e da terra e de todas as coisas e, assim, tive um profundo senso da amabilidade do Todo-Poderoso. Mas nunca tive amor genuíno em meu coração, e nunca vi a amabilidade do Todo-Poderoso com meus próprios olhos. Hoje, aos olhos do Todo-Poderoso, fui visto favoravelmente por Ele e finalmente senti a amabilidade de Deus, e finalmente descobri que, para Deus, não seria apenas criar todas as coisas que faria a humanidade amá-Lo. Em minha vida diária, encontrei Sua infinita amabilidade; como ela poderia ser limitada apenas a esta situação de hoje?”

de ‘Sobre a vida de Pedro’ em “A Palavra manifesta em carne”

154. Quando as pessoas não compreendem a Deus e não conhecem o Seu caráter, seu coração nunca pode realmente se abrir para Ele. Uma vez que tenham entendido Deus, elas começarão a compreender e saborear o que está no Seu coração com interesse e fé. Quando você compreende e saboreia o que está no coração de Deus, seu coração vai gradualmente, pouco a pouco, se abrindo para Ele. Quando seu coração se abrir para Ele, você sentirá quão vergonhosas e desprezíveis foram suas permutas com Deus, suas exigências feitas a Ele e seus desejos extravagantes. Quando seu coração realmente se abrir para Deus, você verá que o coração Dele é um mundo infinito, e você entrará em um reino que nunca experimentou antes. Nesse reino não há trapaça, não há engano, não há escuridão nem maldade. Existe apenas sinceridade e fidelidade; luz e retidão; justiça e bondade. É cheio de amor e cuidado, compaixão e tolerância, e através dele você sente a felicidade e a alegria de estar vivo. Essas coisas são o que Ele revelará a você quando você abrir seu coração para Deus. Este mundo infinito está repleto da sabedoria de Deus, repleto da Sua onipotência; também está repleto do Seu amor e da Sua autoridade. Aqui você pode ver cada aspecto do que Deus tem e é, o que traz alegria a Ele, por que Ele se preocupa e por que fica triste, por que fica irado… Isso é o que todos que abrem o coração e permitem que Deus entre podem ver. Deus só pode entrar em seu coração se você o abrir para Ele. Você só pode ver o que Deus tem e é, e só pode ver a vontade Dele para você, se Ele tiver entrado em seu coração. Nesse momento, você descobrirá que tudo sobre Deus é muito precioso, que o que Ele tem e é, é muito digno de se valorizar. Comparado a isso, as pessoas que o cercam, os objetos e eventos na sua vida, e até mesmo seus entes queridos, seu companheiro ou companheira e as coisas que você ama, mal são dignos de serem mencionados. Eles são tão pequenos e inferiores; você sentirá que nenhum objeto material jamais poderá atraí-lo novamente, e eles não conseguirão que você pague nenhum preço por eles novamente. Na humildade de Deus, você verá a Sua grandeza e supremacia; além disso, em algo que Ele fez que você acreditava ser muito pequeno, você verá Sua infinita sabedoria e tolerância, você verá Sua paciência, Sua longanimidade e a maneira como Ele compreende você. Isso produzirá em você um amor por Ele. Nesse dia, você sentirá que a humanidade está vivendo em um mundo muito sujo, que as pessoas ao seu lado e as coisas que acontecem na sua vida, e até aqueles que você ama, o amor deles por você, e a suposta proteção ou preocupação deles por você, são coisas que nem vale a pena mencionar — apenas Deus é o seu amado, é apenas Deus o seu tesouro maior. Quando esse dia chegar, creio que haverá algumas pessoas que dirão: o amor de Deus é tão grande e Sua essência é tão sagrada — em Deus não há engano, nem mal, nem inveja, nem conflito, mas apenas retidão e autenticidade, e tudo que Deus tem e é deve ser desejado pelos humanos. Os humanos devem se esforçar e aspirar por isso. Sobre qual base é construída a capacidade da humanidade para conseguir isso? Ela é construída com base na compreensão que os humanos têm do caráter de Deus, e na sua compreensão da essência de Deus. Assim, compreender o caráter de Deus, e o que Ele tem e é, é uma lição para toda a vida para cada pessoa, e é um objetivo para toda a vida buscado por todos que se esforçam para mudar o seu caráter, e que se esforçam para conhecer a Deus.

de ‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III’ em “A Palavra manifesta em carne”

155. Se você deseja conhecer a Deus e realmente conhecê-Lo e entendê-Lo, então não fique restrito apenas aos três estágios da obra de Deus, e não se limite apenas às histórias da obra que Deus uma vez realizou. Se você tentar conhecê-Lo dessa maneira, então você está confinando Deus a um certo limite. Você está vendo Deus como insignificante demais. Que influências tais consequências trariam para você? Você nunca seria capaz de conhecer a maravilha e a supremacia de Deus, e você nunca seria capaz de conhecer o poder e a onipotência de Deus e o escopo de Sua autoridade. Tal entendimento afetaria sua capacidade de aceitar a verdade de que Deus é o Governante de todas as coisas, assim como seu conhecimento da verdadeira identidade e status de Deus. Em outras palavras, se a sua compreensão de Deus é limitada em escopo, o que você pode receber também é limitado. É por isso que você deve expandir o escopo e abrir seus horizontes. Seja o escopo da obra de Deus, a gestão de Deus e o governo de Deus, ou todas as coisas governadas e geridas por Deus, você deve conhecer tudo e conhecer as ações de Deus ali. Por meio de tal entendimento, você inconscientemente sentirá que Deus está governando, gerindo e suprindo todas as coisas entre elas. Ao mesmo tempo, você também sentirá realmente que é parte de todas as coisas e membro de todas as coisas. Como Deus fornece todas as coisas, você também aceita a regra e o suprimento de Deus. Esse é um fato que ninguém pode negar.

de ‘O Próprio Deus, o Único VIII’ em “A Palavra manifesta em carne”

156. O conhecimento da autoridade de Deus, do poder de Deus, da própria identidade de Deus e da substância de Deus não pode ser alcançado confiando na sua imaginação. Já que você não pode confiar na imaginação para conhecer a autoridade de Deus, então de que maneira você pode alcançar um verdadeiro conhecimento da autoridade de Deus? Comendo e bebendo as palavras de Deus, tendo comunhão e vivenciando as palavras de Deus, você gradativamente terá uma experiência e verificação da autoridade de Deus e, desse modo, você irá gradativamente ganhar uma compreensão e conhecimento progressivo dessa autoridade. Essa é a única maneira de alcançar o conhecimento da autoridade de Deus; não há atalhos. Pedir que vocês não imaginem não é o mesmo que fazê-los esperar passivamente a destruição ou impedi-los de fazer alguma coisa. Não usar seu cérebro para pensar e imaginar significa não usar lógica para inferir, não usar conhecimento para analisar, não usar a ciência como base, mas, ao invés disso, reconhecer, verificar e confirmar que o Deus em que você crê tem autoridade, confirmando que Ele tem soberania sobre seu destino e que o poder Dele prova a todo momento que Ele é o Próprio Deus verdadeiro, por meio das palavras de Deus, por meio da verdade, por meio de tudo que você encontra na vida. Essa é a única maneira de qualquer pessoa obter uma compreensão de Deus. Alguns dizem que desejam encontrar uma maneira simples de atingir esse objetivo, mas vocês conseguem pensar qual seria essa maneira? Eu digo a você, não há necessidade de pensar: não há outras maneiras! A única maneira é saber e verificar, conscienciosamente e com firmeza, o que Deus tem e é através de cada palavra que Ele expressa e de tudo o que Ele faz. Essa é a única maneira de conhecer a Deus. Pois o que Deus tem e é, e tudo de Deus, não é oco e vazio — mas real.

de ‘O Próprio Deus, o Único I’ em “A Palavra manifesta em carne”

157. O grau de entendimento de Deus que há no coração das pessoas determina quão alta é a posição que Ele mantém no coração delas. O quão grande for o grau do conhecimento de Deus no coração delas é quão grande Deus é no coração delas. Se o deus que você conhece é vazio e vago, o deus em que você crê também é vazio e vago. Se o Deus que você conhece é limitado dentro de seu próprio âmbito, então seu deus é um deus muito pequeno e não tem nada a ver com o Deus verdadeiro. Assim, conhecer as ações práticas de Deus, conhecer a realidade de Deus e a Sua onipotência, conhecer a verdadeira identidade do Próprio Deus, saber o que Ele tem e é, saber o que Ele demonstrou entre todas as coisas — isso é muito importante para cada uma das pessoas que busca o conhecimento de Deus. Isso tem influência direta sobre o fato de as pessoas poderem ou não entrar na realidade da verdade. Se você limita o seu entendimento de Deus a apenas palavras, se o limita a suas próprias pequenas experiências, à graça de Deus que você leva em conta ou seus pequenos testemunhos de Deus, então digo que o deus em que você crê absolutamente não é o Próprio Deus verdadeiro e pode-se dizer também que o deus em que você crê é um deus imaginário, não é o verdadeiro Deus. Isso porque o Deus verdadeiro é Aquele que governa sobre todas as coisas, que anda entre todas as coisas, que gerencia tudo. Ele é Aquele que detém o destino de toda a humanidade — Aquele que detém o destino de tudo. A obra e as ações do Deus de quem falo não estão simplesmente limitadas a uma pequena parte das pessoas. Isto é, não se limitam apenas às pessoas que atualmente O seguem. Suas ações são demonstradas entre todas as coisas, na sobrevivência de todas as coisas e nas leis da mudança de todas as coisas.

Se você não consegue ver nem reconhecer quaisquer ações de Deus entre todas as coisas, então você não pode dar testemunho de nenhuma de Suas ações. Se você não puder dar nenhum testemunho de Deus, se você continuar a falar do pequeno suposto deus que você conhece, aquele deus que está limitado a suas próprias ideias e que se encontra dentro de sua mente estreita, se você continuar a falar desse tipo de deus, então Deus nunca irá elogiar sua fé. Quando você testemunha por Deus, se você só faz uso de como você desfruta a graça de Deus, aceita a disciplina de Deus e o Seu castigo e desfruta as Suas bênçãos em seu testemunho por Ele, isso é extremamente inadequado e está longe de satisfazê-Lo. Se você deseja dar testemunho por Deus de uma forma que esteja alinhada com a Sua vontade, dar testemunho pelo Próprio Deus verdadeiro, então você deve ver o que Deus tem e é com base em Suas ações. Você deve ver a autoridade de Deus a partir de Seu controle de todas as coisas e ver a verdade de como Ele provê para toda a humanidade. Se você apenas reconhecer que sua comida e bebida diárias e suas necessidades na vida vêm de Deus, mas não vir a verdade que Deus provê para toda a humanidade por meio de todas as coisas, que Ele leva toda a humanidade por meio de Seu governo de todas as coisas, então você nunca será capaz de dar testemunho por Deus. Agora você entende tudo isso, certo? Qual é o Meu propósito em dizer tudo isso? É para que vocês não tomem isso com leviandade, para que não creiam que esses tópicos sobre os quais falei são irrelevantes à sua própria entrada pessoal na vida, e para que vocês não tomem esses tópicos simplesmente como um tipo de conhecimento ou doutrina. Se vocês ouvirem isso com esse tipo de atitude, não ganharão nem uma só coisa. Vocês perderão esta grande oportunidade de conhecer a Deus.

de ‘O Próprio Deus, o Único IX’ em “A Palavra manifesta em carne”

158. As pessoas muitas vezes dizem que conhecer a Deus não é algo fácil. Eu, porém, digo que conhecer a Deus não é de forma alguma difícil, pois Deus frequentemente permite que o homem testemunhe as Suas obras. Deus nunca interrompeu o Seu diálogo com a humanidade; Ele nunca Se escondeu do homem, nem Se ocultou. Seus pensamentos, Suas ideias, Suas palavras e Suas obras são todas reveladas à humanidade. Portanto, desde que o homem deseje conhecer a Deus, ele pode vir a entendê-Lo e a conhecê-Lo por meio de todos os tipos de meios e métodos. A razão por que o homem pensa cegamente que Deus o evitou intencionalmente, que Deus Se escondeu intencionalmente da humanidade, que Deus não tem intenção de permitir que o homem O entenda e O conheça, é que ele não sabe quem Deus é, nem deseja entender Deus; ainda mais, ele não está interessado nos pensamentos, palavras ou feitos do Criador… Falando francamente, se uma pessoa só usar o seu tempo ocioso para focar e entender as palavras ou feitos do Criador e prestar um pouco de atenção aos pensamentos e à voz de Seu coração, não será difícil para ela perceber que os pensamentos, palavras e feitos do Criador são visíveis e transparentes. Da mesma forma, pouco esforço será necessário para perceber que o Criador está entre os homens o tempo inteiro, que Ele está sempre em conversação com o homem e com toda a criação, e que Ele está realizando feitos novos todos os dias. A Sua substância e caráter são expressos em Seu diálogo com o homem; Seus pensamentos e ideias são completamente revelados em Seus feitos; Ele acompanha e observa a humanidade o tempo todo. Ele fala calmamente à humanidade e a toda a criação com Suas palavras silenciosas: Eu estou no céu e Eu estou entre a Minha criação. Eu estou vigiando; Eu estou esperando; Eu estou a seu lado… As Suas mãos são quentes e fortes; os Seus passos são leves; a Sua voz é doce e graciosa; Sua figura passa e Se volve, abraçando toda a humanidade; Seu semblante é belo e suave. Ele nunca partiu nem desapareceu. Dia e noite, Ele é a companhia constante da humanidade.

de ‘O Próprio Deus, o Único II’ em “A Palavra manifesta em carne”

159. Até que, um dia, você sentirá que o Criador não é mais um enigma, que o Criador nunca esteve oculto de você, que o Criador nunca escondeu Seu rosto de você, que o Criador não está, de modo algum, longe de você, que O Criador não é mais Aquele que você constantemente anseia em seus pensamentos, mas que você não pode alcançar com seus sentimentos, que Ele está real e verdadeiramente de guarda à sua esquerda e direita, suprindo sua vida e controlando seu destino. Ele não está no horizonte remoto, nem Se ocultou no alto das nuvens. Ele está ao seu lado, presidindo sobre tudo o que é o seu, Ele é tudo o que você tem, e Ele é a única coisa que você tem. Tal Deus permite que você O ame de coração, apegue-se a Ele, mantenha-O perto, admire-O, tema perdê-Lo e não esteja mais disposto a renunciar a Ele, nem mais a desobedecê-Lo, ou evitá-Lo ou mantê-Lo à distância. Tudo o que você quer é ter cuidado por Ele, obedecer-Lhe, retribuir tudo o que Ele lhe dá e submeter-se ao Seu domínio. Você não se recusa mais a ser guiado, suprido, cuidado e mantido por Ele, não se recusa mais ao que Ele lhe determina e ordena. Tudo que você quer é segui-Lo, andar ao lado Dele à Sua esquerda ou direita, tudo o que você quer é aceitá-Lo como sua única vida, aceitá-Lo como seu único Senhor, seu único Deus.

de ‘Conhecer Deus é a senda para temer a Deus e evitar o mal’ em “A Palavra manifesta em carne”

Nota de rodapé:

a. O texto original diz: “A obra de conhecer a Deus”.

XI Palavras clássicas sobre entrar na realidade da verdade