Como exatamente se deve discernir a voz de Deus? Como se pode confirmar que Deus Todo-Poderoso é de fato o Senhor Jesus que voltou?

Versos da Bíblia para referência:

As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz, e Eu as conheço, e elas Me seguem” (João 10:27).

Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por Si Mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras” (João 16:12-13).

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 2:7).

Eis que o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, venceu para abrir o livro e romper os sete selos” (Apocalipse 5:5).

Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso” (Apocalipse 1:8).

Palavras de Deus relevantes:

As palavras do Deus encarnado iniciam uma nova era, guiam toda a humanidade, revelam mistérios e mostram ao homem a direção à frente em uma nova era. O esclarecimento obtido pelo homem nada mais é do que simples prática ou conhecimento. Não pode guiar a humanidade inteira rumo a uma nova era nem revelar os mistérios do Próprio Deus. Deus, afinal, é Deus, e o homem é o homem. Deus tem a substância de Deus, e o homem tem a substância do homem.

de ‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”

Conhecer a Deus deve se dar por meio da leitura e do entendimento da palavra de Deus, de praticar e experimentar a palavra de Deus. Alguns dizem: “Eu não vi o Deus encarnado, então como poderia conhecer Deus?”. De fato, a palavra de Deus é uma expressão do caráter de Deus. A partir da palavra de Deus pode-se ver o amor e a salvação de Deus para a humanidade, e Seu método para salvá-la… Isso se dá porque a palavra de Deus é expressa pelo Próprio Deus, que é o oposto de usar o homem para escrevê-la. Ela é expressa pessoalmente por Deus — é Ele expressando Suas palavras próprias e Sua voz interior. Por que se diz que são palavras sinceras? Porque são proferidas do fundo do coração, expressando Seu caráter, Sua vontade, Seus pensamentos, Seu amor pela humanidade, Sua salvação da humanidade e Suas expectativas quanto à humanidade… Dentre as palavras de Deus estão palavras ásperas, palavras gentis e atenciosas, e existem algumas palavras reveladoras que não estão alinhadas com os desejos humanos. Se examinar apenas as palavras reveladoras, você vai sentir que Deus é bem rigoroso. Se examinar apenas as palavras gentis, você vai sentir que Deus não tem tanta autoridade. Portanto, você não deve entender isso fora de contexto, mas examiná-lo de todos os ângulos. Às vezes, Deus fala de uma perspectiva gentil e compassiva, e as pessoas veem o amor de Deus pela humanidade; às vezes, Ele fala a partir de uma perspectiva austera, e as pessoas veem o caráter de Deus, que não tolerará ofensa. O homem é deploravelmente imundo e não é digno de ver a face de Deus nem de comparecer diante de Deus. Que as pessoas possam agora comparecer diante de Deus é puramente a graça de Deus. A sabedoria de Deus pode ser vista a partir do modo como Ele opera e por meio do significado da Sua obra. As pessoas ainda podem ver essas coisas na palavra de Deus, mesmo sem entrar em contato direto com Ele.

de ‘Como conhecer o Deus encarnado’ em “Registros das falas de Cristo”

Desta vez, Deus vem para fazer a obra não em um corpo espiritual, mas em um corpo muito comum. Trata-se não somente do corpo da segunda encarnação de Deus, como também do corpo em que Deus retorna. É uma carne muito comum. Nele, não se consegue ver nada de diferente dos outros, mas pode-se receber Dele as verdades jamais ouvidas. Esta carne insignificante é a incorporação de todas as palavras da verdade de Deus, aquela que assume a obra de Deus nos últimos dias e uma expressão de todo o caráter de Deus para que o homem venha a conhecer. Você não desejava imensamente ver o Deus dos céus? Não desejava imensamente entender o Deus dos céus? Não desejava imensamente ver o destino da humanidade? Ele lhe contará todos esses segredos que nenhum homem tem sido capaz de contar-lhe, e Ele lhe contará até as verdades que você não entende. Ele é a sua porta para o reino e seu guia à nova era. Uma carne tão comum comporta tantos mistérios insondáveis. Seus feitos podem ser inescrutáveis para você, mas o objetivo de toda a Sua obra basta para que você veja que Ele não é uma simples carne como o homem acredita. Pois Ele representa a vontade de Deus, bem como o cuidado demonstrado por Deus em relação à humanidade nos últimos dias. Embora você não possa ouvir as palavras que Ele diz, as quais parecem abalar céus e terra, nem ver os Seus olhos como chamas flamejantes, e, embora não consiga sentir a disciplina de Seu cetro de ferro, você pode ouvir de Suas palavras a fúria de Deus e saber que Deus mostra compaixão pela humanidade; você pode ver o caráter justo de Deus e Sua sabedoria. Mais ainda: perceber a preocupação e o cuidado que Deus tem com toda a humanidade.

de ‘Você sabia? Deus fez uma grande coisa entre os homens’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando Deus vem para a terra, Sua obra e tudo o que o homem vê de Deus são sobrenaturais. O que você vê com seus olhos e o que você ouve com seus ouvidos é tudo sobrenatural, pois Sua obra e Suas palavras são incompreensíveis e inalcançáveis para o homem. Se algo do Céu for trazido à terra, como poderia ser outra coisa senão sobrenatural? Quando os mistérios do reino dos céus forem trazidos à terra, mistérios que são incompreensíveis e insondáveis para o homem, que são maravilhosos e sábios demais — não serão todos sobrenaturais? […] Considere a obra feita pelo Deus encarnado hoje: que aspecto dela não é sobrenatural? Suas palavras são incompreensíveis e inalcançáveis para você, e a obra que Ele faz não pode ser feita por homem algum. O que Ele entende, o homem não tem como entender, e quanto a Seu conhecimento, o homem não sabe de onde vem. Há alguns que dizem: “Eu também sou comum do mesmo jeito que Você é, mas por que eu não sei o que Você sabe? Sou mais velho e mais rico em experiência, no entanto, como Você pode saber aquilo que eu não sei?”. Tudo isso, tanto quanto concerne ao homem, é algo que o homem não tem como alcançar. Depois há aqueles que dizem: “Ninguém realmente sabe a obra que foi executada em Israel; como é que Você sabe? Até os expositores bíblicos não conseguem explicar; como é que Você sabe?” Tudo isso não são questões do sobrenatural? Ele não experimentou nenhuma maravilha, mas Ele sabe tudo e a palavra vem para Ele com a maior facilidade. Isso não é sobrenatural? Sua obra transcende aquilo que a carne pode alcançar. Ela é inalcançável pelo pensamento de qualquer homem com um corpo de carne e completamente inconcebível pelo raciocínio da mente do homem. Embora Ele nunca tenha lido a Bíblia, Ele entende a obra de Deus em Israel. E embora esteja na terra enquanto fala, Ele profere os mistérios do terceiro céu. Quando o homem lê essas palavras, este sentimento lhe sobrevém: “Isto não é linguagem do terceiro céu?”. Não são todas essas questões que excedem o que pode ser alcançado pelo homem normal?

de ‘O mistério da encarnação (1)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Ele tem plena ciência da essência do homem, Ele é capaz de revelar todos os tipos de práticas relativas a todos os tipos de pessoas. Ele é ainda mais habilidoso em revelar o caráter corrupto e o comportamento rebelde dos homens. Ele não vive entre as pessoas mundanas, mas está ciente da natureza dos mortais e de todas as corrupções das pessoas mundanas. Isso é o que Ele é. Embora Ele não lide com o mundo, Ele conhece as regras de lidar com o mundo porque Ele entende plenamente a natureza humana. Ele conhece a obra do Espírito que os olhos do homem não podem ver e que os ouvidos do homem não podem ouvir, tanto de hoje quanto do passado. Isso inclui sabedoria que não é uma filosofia de vida e admiração que as pessoas acham difícil de entender. Isso é o que Ele é, aberto às pessoas e também oculto das pessoas. O que Ele expressa não é o que uma pessoa extraordinária é, mas os atributos e o ser inerentes do Espírito. Ele não viaja pelo mundo, mas sabe tudo sobre ele. Ele interage com os “antropoides” que não têm conhecimento ou discernimento, mas Ele expressa palavras que são superiores ao conhecimento e acima dos grandes homens. Ele vive entre um grupo de pessoas obtusas e entorpecidas que não têm humanidade e que não entendem as convenções e vidas humanas, mas Ele pode pedir aos homens que vivam a humanidade normal, revelando ao mesmo tempo a humanidade abjeta e inferior dos homens. Tudo isso é o que Ele é, superior a qualquer pessoa de carne e osso. Para Ele, é desnecessário vivenciar uma vida social complicada, incômoda e sórdida para realizar a obra que Ele precisa realizar e revelar plenamente a essência da humanidade corrupta. A vida social sórdida não edifica Sua carne. Sua obra e palavras revelam somente a desobediência do homem e não fornecem ao homem a experiência e os ensinamentos para lidar com o mundo. Ele não precisa investigar a sociedade ou a família do homem ao dar vida ao homem. A exposição e o julgamento do homem não são uma expressão das experiências de Sua carne; servem para revelar a injustiça do homem após tanto tempo conhecendo a desobediência do homem e abominando a corrupção da humanidade. A obra que Ele realiza é inteiramente para revelar Seu caráter ao homem e expressar Seu ser. Só Ele pode realizar essa obra, não é algo que uma pessoa de carne e osso possa realizar.

de ‘A obra de Deus e a obra do homem’ em “A Palavra manifesta em carne”

Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a substância divina, e Ele que é a encarnação de Deus deve possuir a expressão de Deus. Já que Deus Se torna carne, Ele levará adiante a obra que precisa fazer, e já que Deus Se torna carne, Ele expressará o que Ele é e será capaz de trazer a verdade ao homem, conceder vida ao homem e mostrar o caminho ao homem. Carne que não contém a substância de Deus certamente não é o Deus encarnado; disso não há dúvida. Para investigar se é a carne encarnada de Deus, o homem deve determinar isso a partir do caráter que Ele expressa e das palavras que Ele fala. O que quer dizer, se é ou não a carne encarnada de Deus, se é ou não o verdadeiro caminho deve ser julgado pela Sua substância. E assim, ao determinar[a] se é a carne do Deus encarnado, a chave é prestar atenção na Sua substância (Sua obra, Suas palavras, Seu caráter e muito mais), em vez de na aparência exterior. Se o homem olha apenas a Sua aparência exterior e ignora a Sua substância, então isso mostra a ignorância e a ingenuidade do homem.

de ‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”

Após a obra de Jeová, Jesus Se tornou carne para fazer Sua obra entre os homens. Sua obra não foi realizada isoladamente, mas edificada sobre a obra de Jeová. Foi a obra para uma nova era depois que Deus concluiu a Era da Lei. Semelhantemente, depois da obra de Jesus terminou, Deus ainda continuou Sua obra para a próxima era, porque o gerenciamento completo de Deus está sempre avançando. Quando a era antiga passa, ela é substituída por uma nova era, e uma vez que a obra anterior foi completada, uma nova obra continuará o gerenciamento de Deus. Esta encarnação é a segunda encarnação de Deus após a conclusão da obra de Jesus. Claro, esta encarnação não ocorre independentemente, mas é o terceiro estágio da obra após a Era da Lei e a Era da Graça. […] Quando Jesus veio para o mundo do homem, Ele trouxe a Era da Graça e encerrou a Era da Lei. Durante os últimos dias, Deus mais uma vez Se tornou carne, e quando Ele Se tornou carne desta vez, Ele encerrou a Era da Graça e trouxe a Era do Reino. Todos aqueles que aceitam a segunda encarnação de Deus serão conduzidos para a Era do Reino e serão capazes de aceitar pessoalmente a orientação de Deus. Embora Jesus tenha feito muita obra entre os homens, Ele apenas completou a redenção de toda a humanidade e tornou-Se oferta pelo pecado dos homens e não livrou o homem de todo o seu caráter corrupto. Salvar o homem plenamente da influência de Satanás não exigiu apenas que Jesus tomasse os pecados do homem como oferta pelo pecado, mas também exigiu que Deus fizesse uma obra maior para livrar o homem completamente de seu caráter, que foi corrompido por Satanás. E assim, depois que os pecados do homem foram perdoados, Deus voltou para a carne para guiar o homem até a nova era e começou a obra do castigo e julgamento, e essa obra tem trazido o homem a um reino superior. Todo aquele que se submete ao Seu domínio desfrutará de uma verdade maior e receberá bênçãos maiores. Eles viverão verdadeiramente na luz e ganharão a verdade, o caminho e a vida.

de ‘Prefácio’ em “A Palavra manifesta em carne”

Quando Jesus estava fazendo Sua obra, o conhecimento do homem sobre Ele ainda era vago e obscuro. O homem sempre acreditou que Ele era o filho de Davi e proclamou que Ele era um grande profeta, o benevolente Senhor que redimiu os pecados do homem. Alguns, na força de sua fé, foram curados só por tocar a borda de Suas vestes; o cego podia enxergar e até mesmo os mortos podiam ser trazidos de volta à vida. No entanto, o homem era incapaz de descobrir o caráter satânico corrupto profundamente enraizado dentro de si mesmo, nem sabia como eliminá-lo. O homem recebeu muita graça, tal como a paz e a felicidade da carne, a fé de um membro trazendo a bênção para toda uma família, a cura de doenças, e assim por diante. O restante foram as boas ações do homem e sua aparência piedosa; se o homem fosse capaz de viver baseado nisso, ele era considerado um crente aceitável. Somente crentes desse tipo poderiam entrar no Céu após a morte, o que significa que estavam salvos. Mas, durante o tempo de sua vida, não entenderam nada do caminho da vida. Tudo o que faziam era cometer pecados e então confessá-los em um ciclo constante, sem criar nenhuma senda para a mudança de seu caráter: tal era a condição do homem na Era da Graça. O homem recebeu a salvação completa? Não! Portanto, depois da conclusão desse estágio, ainda restava a obra de julgamento e castigo. Esse estágio é para tornar o homem puro por meio da palavra e, desse modo, dar ao homem uma senda para seguir. Esse estágio não seria frutífero ou significativo se continuasse com a expulsão de demônios, pois falharia em extirpar a natureza pecaminosa do homem, e o homem chegaria a uma paralização no perdão dos pecados. Através da oferta pelo pecado, o homem foi perdoado por seus pecados, pois a obra da crucificação já chegou ao fim e Deus prevaleceu sobre Satanás. Mas o caráter corrupto do homem ainda permanece dentro dele, o homem ainda pode pecar e resistir a Deus, e Deus não ganhou a humanidade. É por isso que neste estágio da obra, Deus utiliza a palavra para revelar o caráter corrupto do homem e fazer com que ele pratique de acordo com a senda correta. Este estágio é mais significativo do que o anterior e mais frutífero também, pois agora é a palavra que supre diretamente a vida do homem e permite que o caráter do homem seja completamente renovado; é uma etapa mais completa de obra. Portanto, a encarnação nos últimos dias completou o significado da encarnação de Deus e concluiu por completo o plano de gestão de Deus para a salvação do homem.

de ‘O mistério da encarnação (4)’ em “A Palavra manifesta em carne”

Já fui conhecido como Jeová. Também já fui chamado de Messias, e as pessoas uma vez Me chamaram de Jesus, o Salvador, porque elas Me amavam e respeitavam. Mas hoje não sou o Jeová ou o Jesus que as pessoas conheceram nos tempos passados; sou o Deus que voltou nos últimos dias, o Deus que irá colocar fim a esta era. Sou o Próprio Deus que Se ergue nos confins da terra, repleto de todo o Meu caráter e pleno de autoridade, honra e glória. As pessoas nunca se envolveram Comigo, nunca Me conheceram e sempre foram ignorantes de Meu caráter. Desde a criação do mundo até hoje, nem uma só pessoa Me viu. Este é o Deus que aparece ao homem durante os últimos dias, mas que está oculto entre os homens. Ele reside entre os homens, verdadeiro e real, como o sol que arde e o fogo que flameja, cheio de poder e transbordante de autoridade. Não há uma única pessoa ou coisa que não vá ser julgada por Minhas palavras, e nem uma única pessoa ou coisa que não irá ser purificada pelo fogo ardente. Por fim, todas as nações serão abençoadas por causa de Minhas palavras, e também esmagadas em pedaços por causa de Minhas palavras. Assim, todas as pessoas durante os últimos dias irão ver que Eu sou o Salvador que voltou, Eu sou o Deus Todo-Poderoso que conquista toda a humanidade, e uma vez Eu fui a oferta pelo pecado para o homem, mas nos últimos dias, Eu também Me torno as chamas do sol que queima todas as coisas, bem como o Sol da justiça que revela todas as coisas. Tal é a Minha obra dos últimos dias. Eu assumi este nome e possuo deste caráter para que todas as pessoas possam ver que Eu sou um Deus justo, e sou o sol que arde e o fogo que flameja. Assim é para que todos possam Me adorar, o único Deus verdadeiro, e assim é para que possam ver Minha verdadeira face: não sou apenas o Deus dos israelitas e não sou apenas o Redentor; Eu sou o Deus de todas as criaturas no céu, na terra e no mar.

de ‘O Salvador já voltou sobre uma “nuvem branca”’ em “A Palavra manifesta em carne”

Deus continua Suas declarações, empregando vários métodos e perspectivas para nos admoestar sobre o que fazer, ao mesmo tempo em que dá voz ao Seu coração. Suas palavras carregam o poder da vida, nos mostram o caminho que devemos trilhar e nos permitem entender o que é a verdade. Começamos a ser atraídos por Suas palavras, começamos a nos concentrar no tom e na maneira de Sua fala e subconscientemente começamos a nos interessar pelos sentimentos mais íntimos dessa pessoa normal. Ele chega a cuspir o sangue do Seu coração ao trabalhar por nós, perde o sono e o apetite por nossa conta, chora por nós, suspira por nós, geme em doença por nós, sofre humilhações para o bem do nosso destino e salvação, e nosso entorpecimento e rebeldia fazem Seu coração sangrar e chorar. Esse modo de ser e ter não pertence a uma pessoa comum, tampouco pode ser possuído ou alcançado por nenhum ser humano corrompido. Ele demonstra tolerância e paciência que nenhuma pessoa comum possui, e Seu amor não é algo com o qual qualquer ser criado é dotado. Ninguém além Dele pode conhecer todos os nossos pensamentos, ou ter tal compreensão de nossa natureza e substância, ou julgar a rebeldia e a corrupção da humanidade, ou falar conosco e operar entre nós dessa maneira em nome de Deus do Céu. Ninguém além Dele é dotado com a autoridade, a sabedoria e a dignidade de Deus; o caráter de Deus e o que Ele tem e é se revelam Nele em sua totalidade. Ninguém além Dele pode nos mostrar o caminho e nos trazer a luz. Ninguém além Dele pode revelar os mistérios que Deus não revelou desde a criação até hoje. Ninguém além Dele pode nos salvar da escravidão de Satanás e de nosso próprio caráter corrupto. Ele representa Deus. Ele expressa o coração mais íntimo de Deus, as exortações de Deus e as palavras de julgamento de Deus para toda a humanidade. Ele iniciou uma nova era e trouxe um novo Céu e uma nova Terra, uma nova obra, e Ele nos trouxe esperança, encerrando a vida que levávamos na incerteza e capacitando todo o nosso ser a contemplar, em total clareza, a senda da salvação. Ele conquistou todo o nosso ser e ganhou nosso coração. Daquele momento em diante, nossa mente se tornou consciente, e nosso espírito parece reavivado: essa pessoa comum e insignificante, que vive entre nós e há muito tem sido rejeitada por nós — não é ela o Senhor Jesus, que está sempre em nossos pensamentos, estejamos acordados ou sonhando, e por quem ansiamos noite e dia? É Ele! É realmente Ele! Ele é nosso Deus! Ele é o caminho, a verdade e a vida!

de ‘Contemplando a aparição de Deus em Seu julgamento e Seu castigo’ em “A Palavra manifesta em carne”

A obra que está sendo feita no presente tem movido adiante a obra da Era da Graça; isto é, a obra que está totalmente sob o plano de gestão de seis mil anos tem se movido adiante. Apesar de a Era da Graça ter terminado, a obra de Deus tem feito progresso. Por que Eu digo repetidamente que este estágio da obra é construído sobre a Era da Graça e a Era da Lei? Isto significa que a obra deste dia é uma continuação da obra feita na Era da Graça e é um avanço sobre o que foi feito na Era da Lei. Os três estágios são muito bem interconectados, e cada elo na corrente está firmemente atado ao próximo. Por que Eu também digo que este estágio da obra é construído sobre o que foi feito por Jesus? Supondo que este estágio não foi construído sobre o que foi feito por Jesus, outra crucificação teria que ocorrer neste estágio, e a obra redentora do estágio anterior teria que ser toda feita novamente. Isto seria sem sentido. Por isso, não é que a obra esteja completamente terminada, mas que a era se moveu adiante, e o nível da obra foi elevado ainda mais alto do que antes. Pode-se dizer que este estágio da obra foi construído sobre o fundamento da Era da Lei e sobre a rocha da obra de Jesus. A obra é construída estágio por estágio, e este estágio não é um novo começo. Somente a combinação dos três estágios da obra pode ser considerada o plano de gestão de seis mil anos. A obra neste estágio é feita sobre o fundamento da obra da Era da Graça. Se estes dois estágios da obra não estivessem relacionados, então, por que a crucificação não foi repetida neste estágio? Por que Eu não carrego os pecados do homem, mas, em vez disso, venho para julgar e castigar o homem diretamente? Se a Minha obra de julgar e castigar o homem e Minha vinda agora não pela concepção pelo Espírito Santo não seguissem a crucificação, então Eu não estaria qualificado para julgar e castigar o homem. É precisamente porque sou um com Jesus é que Eu venho diretamente para castigar e julgar o homem. A obra neste estágio é construída inteiramente sobre a obra do estágio precedente. É por isso que somente a obra deste tipo pode levar o homem, passo a passo, à salvação. Jesus e Eu viemos de um Espírito. Embora não tenhamos relação nas Nossas carnes, os Nossos Espíritos são um; mesmo que o conteúdo do que Nós fazemos e a obra que Nós assumimos não sejam os mesmos, Nós somos semelhantes em essência; as Nossas carnes tomam formas diferentes, mas isto é devido à mudança na era e nos diferentes requisitos da Nossa obra; os Nossos ministérios não são semelhantes, por isso, a obra que Nós produzimos e o caráter que Nós revelamos ao homem também são diferentes. É por isso que o que o homem vê e entende neste dia é diferente do que no passado; isto se dá por causa da mudança na era. Por tudo isso, Eles são diferentes no gênero e na forma das carnes Deles, e Eles não nasceram da mesma família, ainda menos no mesmo período de tempo, os Espíritos Deles são, não obstante a isso, um. Por tudo isso, as carnes Deles não compartilham nem sangue nem parentesco físico de tipo algum, não pode ser negado que Eles são a encarnação de Deus em dois períodos de tempo diferentes. Que Eles são as carnes encarnadas de Deus é uma verdade irrefutável, embora não sejam da mesma linhagem e não compartilhem uma linguagem humana comum (um era um homem que falava a língua dos judeus e o outro uma mulher que fala somente chinês). É por esses motivos que Eles viveram em diferentes países para fazerem a obra que convinha a cada um fazer e em períodos diferentes de tempo também. A despeito do fato de que Eles são o mesmo Espírito, com posse da mesma essência, não há semelhanças absolutas, de modo algum, entre as cascas externas das carnes Deles. Tudo o que eles compartilham é a mesma humanidade, mas no que se refere à aparência externa das carnes Deles e as circunstâncias do nascimento Deles, Eles não são semelhantes. Estas coisas não têm impacto sobre a obra respectiva Deles nem sobre o conhecimento que o homem tem Deles, pois, em última análise, Eles são o mesmo Espírito e ninguém pode separá-Los. Apesar de Eles não serem relacionados por meio do sangue, todo o ser Deles está encarregado do Espírito Deles, que aloca a Eles diferentes obras em diferentes períodos de tempo, e a carne Deles a diferentes linhagens. Semelhantemente, o Espírito de Jeová não é o pai do Espírito de Jesus, e o Espírito de Jesus não é o filho do Espírito de Jeová: Eles são um e o mesmo Espírito. Assim como o Deus encarnado de hoje e Jesus. Embora Eles não estão relacionados por sangue, Eles são um; isso se dá porque Seus Espíritos são um. Deus pode fazer a obra de misericórdia e de benignidade, assim como a de julgamento justo e a de castigo do homem, e a de invocar maldições sobre o homem; e, no final, Ele pode fazer a obra de destruir o mundo e de punir o iníquo. Ele não faz tudo isso Ele Mesmo? Esta não é a onipotência de Deus?

de ‘As duas encarnações completam o significado da encarnação’ em “A Palavra manifesta em carne”

Nota de rodapé:

a. O texto original diz “quanto a”.

Conteúdo Relacionado