As palavras de Deus indicam o caminho

Por Xiaocheng, Shaanxi

A palavra de Deus diz: “A intenção de Deus ao expor as pessoas não é eliminá-las, mas fazê-las crescer” (de ‘Somente praticando as palavras de Deus pode haver mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”). No passado, por entender mal a intenção de Deus em expor as pessoas, sempre que cometia erros no cumprimento de meu dever ou encontrava qualquer dificuldade, enfrentava fracasso ou sofria um revés, eu ficava em estado de negatividade e engano, sendo passivamente relapsa em meu trabalho, sem buscar a vontade de Deus e sem refletir internamente para conhecer a mim mesma. Isso fez com que eu perdesse muitas oportunidades de obter a verdade. Graças ao ambiente que Deus havia arranjado, bem como à iluminação e à orientação de Suas palavras, mais tarde descobri os desvios em minha própria experiência e percebi que Deus não expõe as pessoas a fim de nos eliminar, mas para permitir que nossas vidas cresçam. Depois de entender a vontade de Deus, deixei de ser negativa ou de me enganar sobre Deus, e encontrei uma senda pela qual praticar e ganhar acesso à verdade.

Na igreja, o dever que cumpro é organizar documentos. Por algum tempo, devido à orientação de Deus, alcancei alguns resultados no cumprimento de meu dever. Após revisar e compilar materiais evangélicos para meus irmãos e irmãs inspecionarem, eles não descobriam nenhum problema, mas quando se tratava dos materiais evangélicos que eles mesmos haviam compilado, eu não só era capaz de encontrar alguns problemas, como também conseguia revisar e corrigir esses problemas para eles. Minhas irmãs e irmãos não estavam em boa situação, mas eu fui capaz de aplicar minha própria experiência para comunicar a eles com base nas palavras de Deus, assim capacitando-os a sair de sua situação errônea. Logo que isso ocorreu a mim, senti-me exultante. Senti como se tivesse feito um trabalho muito bom ao cumprir meu dever, e de fato havia feito algum progresso. Para minha grande surpresa, contudo, com os materiais evangélicos que eu havia compilado naqueles últimos dias, problemas apareceram repetidamente. Um dia, uma irmã me disse: “As frases que você escrevia em seus materiais evangélicos costumavam ser mais refinadas. Como é que tem tantos erros nesse documento?” Como alguém que sempre foi bastante adepta a revisar orações, tive um pouco de dificuldade em aceitar isso. Pensei comigo mesma: “Trabalhei tão duro na revisão desse material evangélico, como ainda poderia haver problemas com suas frases?” Vendo as correções que essa irmã havia feito no documento, senti-me bastante infeliz. Entretanto, eu não tinha buscado a vontade de Deus; eu havia simplesmente feito mais uma leitura rápida daquele material evangélico e o terminado. No dia seguinte, ao revisar outra parte do material evangélico que eu havia examinado, a mesma irmã disse inesperadamente que a linha de pensamento de minha revisão não estava clara e que eu falhara em estabelecer seu argumento geral. Ela até disse que a pessoa encarregada também havia visto o material e compartilhado sua visão. Ao ouvir isso, meu coração bateu alto em meus ouvidos. Pensei comigo: “Como isso pode ter acontecido? Como pude deixar de estabelecer uma linha clara de pensamento em minhas orações ou de transmitir o significado do conteúdo geral? Agora, não só essa irmã pensa que meu trabalho deixa a desejar, mas a pessoa encarregada acha o mesmo. Isso não mostra que, na verdade, há uma importante falha na linha de pensamento por todo o documento? Agora que eu era incapaz de detectar problemas tão gritantes, teria perdido a obra do Espírito Santo? Há um problema com meu calibre como pessoa? Não sou adequada para cumprir esse dever?” Quanto mais eu pensava nisso, mais fraca me sentia; eu havia me enganado completamente sobre Deus e sentia que Ele não estava mais operando em mim, e que Ele me desprezava. Na hora do almoço, observei minhas irmãs conversando e rindo juntas, mas não consegui me alegrar.

Naquele momento, lembrei-me de uma das declarações de Deus: “Quando as pessoas não entendem ou praticam a verdade, muitas vezes, elas vivem em meio ao caráter corrupto de Satanás. Elas existem em meio a várias armadilhas satânicas, quebrando sua cabeça para o bem de seu próprio futuro, aparência, status e outros interesses próprios. Mas se você aplicar essa atitude ao seu dever, à busca da verdade, então você ganhará a verdade” (de ‘Como resolver o problema de ser descuidado e superficial no cumprimento do seu dever’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras de Deus me deram um chacoalhão. Acalmei-me e comecei a ponderar sobre as coisas. Problema após problema surgiram nos documentos que eu havia revisado nos últimos dias; porém, mesmo ao encarar tal revelação, de forma alguma busquei a vontade de Deus. Eu também não estava tentando sondar o que havia levado ao surgimento desses problemas no cumprimento de meu dever, se eles haviam emergido porque esses eram problemas com meu caráter e intenção, ou porque eu não havia ganhado perícia em meu trabalho e não havia compreendido muito bem certos princípios, nem estava tentando descobrir como eu poderia impedir que tais erros surgissem no futuro para que eu pudesse alcançar melhores resultados no cumprimento de meu dever. Eu absolutamente não levara em consideração essas questões práticas; em vez disso, minha mente havia sido completamente ocupada com indagações de como outros me viam e se Deus queria me expor e eliminar. Eu tinha gastado todo o meu tempo refletindo sobre esses caminhos tortuosos, sem pensar de forma alguma sobre a senda correta e, como resultado, quanto mais refletia, mais negativa e deprimida eu ficava, perdendo interesse em cumprir meu dever. Só então vi os desvios em minha experiência. Ao ser exposta por Deus, eu não havia focado em buscar a verdade e resolver minhas questões, mas, em vez disso, havia pensado sobre minha reputação e posição, bem como meu futuro e destino. Satanás havia me feito de boba, o que me levou a acreditar em Deus por anos sem nunca ter alcançado entrada na vida. Eu não podia continuar tão abatida. Eu precisava buscar a vontade de Deus nesse tipo de ambiente, refletir internamente para conseguir conhecer a mim mesma e entrar na realidade das palavras de Deus.

Coloquei-me diante de Deus para refletir sobre mim mesma: por que eu era sempre incapaz de aceitar os fatos que eram revelados? Por que, toda vez que um problema ocorria no cumprimento de meu dever, eu sofria tanto? Qual exatamente era a razão disto? Por meio de oração e busca, lembrei-me das palavras de Deus: “Há, no caráter corrupto da humanidade, uma questão prática da qual vocês não estão cientes; é um problema extremamente sério e ele é comum à humanidade de cada pessoa. Esse é o ponto mais fraco da humanidade e é, também, um elemento da essência da natureza humana que é muito difícil de desvendar e mudar. As próprias pessoas são objetos da criação. Objetos da criação podem alcançar onipotência? Podem alcançar perfeição e impecabilidade? Podem alcançar proficiência em tudo, vir a entender tudo e realizar tudo? Não podem, certo? No entanto, há uma fraqueza nos humanos. Assim que aprendem uma habilidade ou profissão, as pessoas sentem que são capazes, que são pessoas com status e valor e que são profissionais de algum tipo. Não importa quão capazes possam ser, quando se destacam com talento conspícuo, elas querem maquiar sua aparência, disfarçando-se como figuras importantes, e parecer perfeitas e impecáveis, sem um único defeito; desejam tornar-se grandes, poderosas, totalmente capazes, onipotentes aos olhos dos outros. […] No que diz respeito à fraqueza, deficiência, ignorância, tolice ou falta de entendimento da humanidade normal, elas as embrulharão, maquiarão, não permitirão que outras pessoas as vejam e então continuarão a se disfarçar. A cabeça de tais pessoas está sempre nas nuvens, não está? Não estão sonhando? Elas não sabem quem elas mesmas são, tampouco sabem como viver a humanidade normal. Jamais agiram como seres humanos práticos. Em sua conduta, se as pessoas escolherem esse tipo de sendasempre com a cabeça nas nuvens em vez de estar com os pés no chão, sempre querendo voarelas estão fadadas a se deparar com problemas. Para ser honesto com você, se você fizer isso, então, não importando como você crê em Deus, você não entenderá a verdade e também não será capaz de obter a verdade, porque esse tipo de senda na vida que você escolhe não é certo e seu ponto de partida está errado. Você deve aprender a andar no chão e a andar continuamente, um passo por vez. Se você consegue andar, ande; não tente aprender a correr. Se você consegue andar um passo por vez, não tente dar dois passos ao mesmo tempo. Você deve ser uma pessoa que mantém seus pés firmemente no chão. Não tente ser sobre-humano, grande ou altivo.

Os seres humanos, dominados por seu caráter satânico, abrigam uma ambição e um desejo dentro de si, os quais estão ocultos em sua humanidade. Ou seja, os humanos nunca querem ficar no solo; eles continuam querendo subir pelos ares. E para quem o ar é um lugar para ficar? É um lugar para Satanás, não um lugar para os humanos. Ao criar os humanos, Deus os colocou no solo para que sua vida diária pudesse ser completamente normal e o estilo de vida disciplinado, para que você pudesse adquirir conhecimentos gerais sobre como ser humano, aprender a viver a vida e como adorar a Deus. Deus não lhe deu asas; Ele não permitiu que você ficasse no ar. Os que têm asas são pássaros e os que vagueiam pelo ar são Satanás, espíritos malignos e demônios imundos. Esses não são seres humanos! Se as pessoas continuarem tendo tais ambições, sempre querendo tornar-se extraordinárias e superiores, diferentes dos outros e especiais, então isso é um problema! Em primeiro lugar, a fonte de seu pensamento está errada. ‘Extraordinário e superior’que tipo de pensamento é esse? ‘Ser melhor ou superior a todos’, ‘ser incomparável’, ‘perfeito e impecável’, ‘bom acima de qualquer comparação’, ‘forjando uma senda única’quando usadas para os objetivos das buscas das pessoas, essas frases são boas ou ruins? ‘Extraordinário’, ‘excelente’, ‘talento especial’, ‘presença poderosa’, ‘personalidade charmosa’, ‘irresistível’, ‘celebrado e maravilhoso’, ‘idolatrado’são esses os objetivos que as pessoas deveriam buscar em sua conduta? Existe uma única palavra em toda a verdade que instrui você a ser tal pessoa? (Não.)” (de ‘As cinco condições que as pessoas têm antes de entrar na trilha certa de acreditar em Deus’ em “Registros das falas de Cristo”). “Sob circunstâncias normais, ninguém é bom em tudo, ninguém é ‘pau para toda obra’. Não importa quão desenvolvido seja o seu cérebro, quão extensas sejam as suas percepções, sempre haverá coisas que você não entende ou das quais não está ciente, profissões ou habilidades que você não conhece; em cada ramo de atividade ou trabalho, sempre haverá lacunas em seu próprio conhecimento das quais você não está ciente, sempre haverá coisas que você é incapaz de fazer ou que estão além de seu alcance” (de ‘Somente praticando as palavras de Deus pode haver mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”). Somente após refletir sobre as palavras de Deus e compará-las com minha situação, foi que descobri que eu nunca havia sido capaz de aceitar ser exposta por Ele. A razão para isso é que eu fora dominada por minha natureza satânica arrogante; eu sempre havia buscado ser uma pessoa perfeita, impecável, altiva, valente. Não importa aonde eu fosse ou onde estivesse cumprindo meu dever, eu sempre havia desejado me tornar a pessoa mais notável, mais excelente. Parecia que eu tinha que ser tal pessoa a fim de obter sucesso e que, de outra forma, eu teria sido uma inútil e um fracasso. Assim, toda vez que um problema surgia enquanto eu cumpria meu dever, eu não o encarava calmamente, nem aceitava esse tipo de exposição por Deus, nem admitia minhas próprias deficiências. Em vez disso, eu ficava estarrecida e achava que não devia cometer erros, indagando como aquilo podia ter acontecido — a ponto de até viver em estado de negatividade e engano, incapaz de me tratar de forma apropriada. Eu realmente não me conhecia muito bem e tinha uma opinião demasiadamente elevada de mim mesma! As palavras de Deus tornaram evidente que eu sempre havia buscado ser uma pessoa perfeita, impecável, altiva; isso resultara totalmente da ambição e dos desejos de Satanás. Era Satanás me provocando e corrompendo, quando, na verdade, eu era simplesmente um objeto da criação, para sempre incapaz de obter perfeição. Deus nunca exigiu que fôssemos altivos ou perfeitos; Ele quer que sejamos centrados, façamos progresso contínuo e nos conduzamos com total honestidade. Usando qualquer tipo de nível e estatura que eu tivesse como base, eu deveria começar a desempenhar minha função, aprender a me submeter à obra de Deus e fazer o melhor para cumprir meu dever; somente então eu teria a racionalidade condizente com um objeto da criação. Ninguém é perfeito; todas as pessoas comuns têm suas próprias falhas e maneiras pelas quais elas não satisfazem as expectativas. O fato de desvios ou problemas terem emergido no cumprimento de meu dever era bastante normal, e ao ser exposta de fato, descobri minhas deficiências. Somente ao melhorar e compensar continuamente tais deficiências, eu poderia avançar mais e mais e fazer um trabalho cada vez melhor no cumprimento de meu dever. Se eu não conseguisse lidar com minhas questões e deficiências de maneira adequada e não buscasse a verdade para resolvê-las, como poderia fazer progresso? Foi só então que percebi o quanto eu havia sido dominada por desejos e ambição. Eu havia ficado tão presunçosa que não tinha autoconhecimento algum; minha busca de ser uma pessoa perfeita fora completamente contrária à vontade de Deus e, assim, não poderia de forma alguma obter Suas bênçãos e orientação.

Uma vez mais, li as palavras de Deus: “A intenção de Deus ao expor as pessoas não é eliminá-las, mas fazê-las crescer. E mais, às vezes, você acha que está sendo exposto, mas, na verdade, não está. Muitas vezes, visto que o calibre das pessoas é pobre e elas não entendem a verdade, tendo, além disso, um caráter arrogante, visto que gostam de se exibir, têm um caráter rebelde, são inconscientes, descuidadas e indiferentes, elas fazem um trabalho ruim e não cumprem seu dever corretamente. Por outro lado, às vezes, você não lembra os princípios que lhe foram comunicados, permitindo que eles entrem por um ouvido e saiam pelo outro. Você age como lhe agrada, agindo antes de se comunicar mais com outros e um padrão para si mesmo. O que você faz tem pouco efeito e é contrário ao princípio. Nesse aspecto, você deveria ser disciplinadomas como se poderia dizer que você foi eliminado? Você deve abordar isso corretamente. Qual é a maneira correta de abordar isso? Em questões em que você não entende a verdade, você deve buscar. Não se trata apenas de buscar um entendimento da doutrina e nada além disso. Você deve entender a vontade de Deus e o princípio por trás de como a família de Deus executa determinado trabalho. Qual é o princípio? O princípio não é doutrina. Ele possui vários critérios, e você deve buscar o veredito sobre os arranjos de trabalho para tais questões, o que o alto tem ordenado em relação à execução de tal trabalho, o que as palavras de Deus dizem sobre cumprir esse tipo de dever e como satisfazer a vontade de Deus. Quais são os critérios para satisfazer a vontade de Deus? Agir de acordo com os princípios da verdade. A direção geral é colocar os interesses da família de Deus e o trabalho da família de Deus em primeiro lugar. Mais especificamente, em todos os aspectos, não deve haver problemas maiores e Deus não pode ser envergonhado de maneira alguma. Se as pessoas dominarem esses princípios, suas preocupações diminuirão aos poucos? E seus equívocos também diminuirão? Uma vez que você deixar de lado seus equívocos e não tiver ideias insensatas sobre Deus, aos poucos, as coisas negativas deixarão de ocupar uma posição dominante em você, e você abordará tais questões corretamente. Portanto, é importante buscar a verdade e buscar entender a vontade de Deus” (de ‘Somente praticando as palavras de Deus pode haver mudanças no caráter’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras de Deus me fizeram entender que ser exposta por Ele não era para me eliminar, mas para permitir que eu descobrisse as deficiências no cumprimento de meu dever e soubesse que partes de meu caráter corrupto ainda estavam me impedindo de cumprir o meu dever, para que eu pudesse resolver essas questões de maneira oportuna, ser capaz de aumentar continuamente os resultados de meu trabalho e transformar meu caráter de vida o mais rápido possível. Após entender a vontade de Deus, acalmei-me e procurei a razão por trás dos problemas que haviam ocorrido em ambas as minhas revisões recentes de materiais evangélicos. Pensando nisso com muito cuidado, percebi que, sempre que via alguma melhora em minha organização de documentos, eu ficava em estado de autoapreciação e autossatisfação. Eu não me esforçava mais para progredir e, ao lidar com materiais subsequentes, eu o fazia descuidadamente, meramente agindo sem me envolver. Com relação aos detalhes da verdade envolvida nos materiais, eu não tentava descobrir os princípios por trás deles, mesmo que não os compreendesse; eu simplesmente tinha uma vaga ideia do que eles significavam e prosseguia em meu estado confuso. Sendo assim, era de admirar que problemas tivessem emergido no cumprimento de meu dever? Considerando isso, percebi que, se eu buscasse a verdade para resolver minha própria corrupção e me esforçasse mais para completar diligentemente minhas tarefas, esses problemas poderiam de fato ser evitados. Ao expor os fatos, Deus havia permitido que eu reconhecesse meu próprio caráter corrupto e a atitude que eu havia tido no cumprimento de meu dever, para que eu pudesse buscar a verdade a fim de resolver essas questões. Isso não era precisamente o amor que Deus tinha por mim? Tal percepção tornou meu coração radiante: eu reconheci que deveria parar de me enganar em relação a Deus e que precisava me apressar e acertar minha situação a fim de devotar meu coração ao cumprimento de meu dever. Depois disso, me reuni com a pessoa encarregada para explorar mais o raciocínio naquele material evangélico e, com base nos princípios, determinar a direção em que ele deveria ser revisado. No dia seguinte, ao examiná-lo novamente, para minha surpresa, alguns pontos altos haviam sido adicionados, e quando eu terminei de revisá-lo, me senti muito mais confiante e tranquila.

Esta experiência me fez perceber que, se desvios ou problemas existirem no cumprimento de meu dever, eu não deveria temer nem ficar assustada se Deus me expusesse. O que é apavorante é se, ao ser exposta, eu não buscasse a verdade para resolver meus problemas e então vivesse em estado de negatividade, delimitando-me constantemente, perdendo, assim, muitas oportunidades de obter a verdade e atrasando meu progresso na vida. De agora em diante, não importa que reveses ou falhas eu possa enfrentar, desejo sempre buscar a verdade diante de Deus, envolver-me em autorreflexão para poder conhecer a mim mesma, usar as palavras de Deus para corrigir meu caráter corrupto, buscar uma senda de entrada na verdade. Somente ao praticar dessa forma, poderei progredir mais e mais na vida e cumprir meu dever de forma cada vez mais proficiente.

Conteúdo Relacionado

  • O que está por trás das mentiras

    Cada vez que eu via as palavras de Deus nos chamando para sermos pessoas honestas e falarmos com precisão, pensava: “Não tenho problema algum em falar com precisão. Não é só chamar uma espada de espada e dizer as coisas como elas são? Não é fácil? O que mais me aborrece nesse mundo são pessoas que gostam de enfeitar o palavreado”.

  • Uma guinada para melhor no caminho da crença em Deus

    Zhuanbian Cidade de Xangai Embora eu tenha seguido Deus por muitos anos, não tinha realizado quase progresso algum em minha entrada na vida, e isso…

  • Sou incapaz de ver Cristo

    Desde o primeiro momento em que comecei a acreditar em Deus Todo-Poderoso, eu sempre admirei os irmãos e irmãs que conseguiam receber um ministério pessoal de Cristo, que podiam ouvir os sermões diretamente Dele.

  • Libertando-se dos grilhões do espírito

    Wu Wen Cidade de Zhengzhou, Província de Henan Eu era uma pessoa fraca com um caráter sensível. Quando não acreditava em Deus, com frequência eu me…