Eu desfrutei de um banquete rico

Xinwei Província de Zhejiang

Os dias 25 e 26 de junho de 2013 foram inesquecíveis. Nossa região experimentou um grande evento, com a maioria dos líderes e trabalhadores da região apreendidos pelo grande dragão vermelho. Apenas alguns de nós escapamos ilesos e, com os nossos corações cheios de gratidão, fizemos um juramento secreto a Deus: cooperar bem com o trabalho a seguir. Subsequentemente, iniciamos o trabalho agitado em lidar com as consequências. E depois de quase um mês, os preparativos estavam chegando à conclusão. Esse mês foi quente e, enquanto sofríamos fisicamente, nossos corações estavam contentes, à medida que o nosso trabalho prosseguia suavemente logo abaixo do nariz do grande dragão vermelho. Quando o trabalho foi concluído, eu involuntariamente me encontrei em um estado de autossatisfação, pensando o quão inteligente eu era em ter organizado a obra tão bem. Que trabalhadora capacitada eu era! E foi nesse momento que Deus visitou o seu castigo e julgamento sobre mim…

Certa noite, várias de nossas irmãs estavam conversando. Uma irmã sugeriu que eu escrevesse para XX e XX, me atribuiu algumas tarefas, e adicionou uma sentença final: “Não se apresse somente, agora é o momento de esconder e realizar devoções espirituais. Concentre-se nas devoções espirituais e na entrada na vida”. Assim que ouvi essas palavras, meu coração as rejeitou: Eu tenho que escrever cartas, eu tenho que trabalhar. Onde está o tempo para devoções espirituais? Você é uma imigrante, eu sou daqui, eu estou protegendo você, não deixando você sair e trabalhar, e você está me criticando? Se eu sentasse em casa realizando devoções espirituais o dia todo como você faz, quem iria e faria o trabalho? A carga de trabalho precisa ser levada em consideração quando atribuir tarefas; e a situação precisa ser levada em consideração antes de me podar… Na manhã seguinte, todos estavam comendo e bebendo e comunicando as palavras de Deus, mas eu estava distraída, sem aproveitar a comida e a bebida. As irmãs estavam falando sobre a compreensão delas das palavras de Deus, enquanto eu fiquei em silêncio. Aquela irmã então me perguntou: “Por que você não está conversando?” Eu respondi rispidamente: “Eu não estou entendendo”. A irmã continuou: “Eu vejo que você não está bem”. Eu respondi sem pensar: “Eu não percebi nenhum problema”. Mas, na verdade, meus pensamentos começaram a explodir. Por fim, não pude contê-los mais e eu disse-lhe o que me incomodava. A irmã ouviu e admitiu imediatamente que ela tinha sido presunçosa e não deveria ter me designado tarefas como ela desejasse. Mas isso não foi suficiente para eu pôr de lado minha resistência — pelo contrário, eu sentia que tinha colocado a verdade em prática no meu trabalho durante esse período, e ela não deveria ter dito que eu não estava em bom estado. O que os líderes do distrito ao nosso lado pensariam? Então a irmã continuou: “Estou preocupada que se você somente trabalhar sem qualquer tempo para sua própria entrada, você se degenerará…” Quanto mais ela falava, mais eu refutava, pensando: Você me chamou de degenerada? Eu acho que estou muito bem e não vou me degenerar! Eu simplesmente não concordava com a comunicação dela. Depois do café da manhã eu saí para trabalhar, me sentindo irritada e pensando: vou deixar de ser líder, farei algumas tarefas de rotina e acabarei com isto. Se ela diz que eu sou degenerada e não tenho entrada na vida, como posso liderar os outros de qualquer maneira? Quanto mais eu pensava, mais meu espírito se abatia, pensando: quando essas tarefas estiverem completas, eu vou renunciar. Então eu me senti fraca em todo o meu corpo, como se estivesse doente. Percebi que eu estava errada. Ao retornar para casa, fui perante à Deus e orei: “Deus Todo-Poderoso, tenho sido muito arrogante e obstinada, não tenho amado a verdade, não tenho conseguido aceitar o Teu castigo e julgamento, o Teu tratamento e poda comigo. Espero que Tu possas me ajudar e proteger meu coração, meu espírito, me faça capaz de me submeter à Tua obra, para me examinar de verdade e ter uma verdadeira compreensão de mim mesma”. Mais tarde, vi as seguintes palavras: “O segredo para a autorreflexão e se conhecer é isto: quanto mais você sente que em certas áreas fez o bem ou que fez a coisa certa, e quanto mais você acha que pode satisfazer a vontade de Deus ou que merece se gabar naquelas áreas, então mais vale a pena para você se conhecer naquelas áreas e mais vale a pena para você escavá-las a fundo para ver que impurezas existem em você, bem como que coisas não podem satisfazer a vontade de Deus. […] Essa história sobre Paulo serve como uma advertência para todos que acreditam em Deus, que é que, toda vez que sentir que se saiu especialmente bem ou acreditar que é especialmente dotado em certo respeito e que não precisa mudar nem precisa ser tratado em certo respeito, você deveria se esforçar para se conhecer melhor a esse respeito. Isso é porque você certamente não desenterrou, não prestou atenção nem dissecou os aspectos de si mesmo nos quais você acha que se saiu bem, a fim de ver se de fato eles contêm ou não algo que resiste a Deus” (de ‘Só conhecendo seus pontos de vista equivocados você pode se conhecer’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras de Deus refletiram no meu coração como se estivessem em um espelho brilhante. Deus exige que entendamos a nós mesmos através de entender onde pensamos que fazemos o bem, onde pensamos que fazemos o certo, e entendamos mais a nós mesmos nesses aspectos onde pensamos que não precisamos ser tratados. Pensando naquele momento, vejo que eu estava carregando um fardo. Meu trabalho estava mostrando resultados e eu estava lidando bem com muitas tarefas importantes, pensando que eu estava colocando a verdade em prática, que essas eram todas as entradas positivas e ativas e eu estava muito bem — então não vinha perante Deus e me examinava. Hoje, graças à iluminação das palavras de Deus, percebo que na época eu estava fazendo meu trabalho bem, mas minha natureza arrogante estava desenfreada. Eu pensava que os resultados do meu trabalho eram devido aos meus esforços, que eu era uma trabalhadora capaz. Eu estava inteiramente satisfeita. Na verdade, quando penso naquele momento, percebo agora que estava apenas trabalhando, fazendo o que eu era capaz de fazer sob a liderança e proteção do Espírito Santo, mas enquanto trabalhava não buscava a verdade. Eu não tinha entrada na vida, e por um tempo eu não tinha entendimento de mim mesma, eu não tinha entendimento de Deus, nem minha experiência da obra de Deus me trouxe uma compreensão mais clara de qualquer aspecto da verdade. Pelo contrário, fiquei arrogante ao ponto de não ouvir ninguém e roubei a glória de Deus pela minha pequena parte em Sua grande obra. O caráter satânico que então revelei era suficiente para Ele me chamar de pecadora! Mas através daquela irmã, hoje Deus me lembrou de focar nas devoções espirituais, para evitar a degeneração. No entanto, eu ainda não aceitava isso. Realmente eu não sabia o que estava certo e errado e era muito ignorante de mim mesma. Ao mesmo tempo, senti que estava em um estado aterrorizante. Se Deus não tivesse despertado aquela irmã para apontar meu estado e me fazer retornar rapidamente a Deus, eu teria vivido em degeneração, inconsciente de que tinha perdido a obra do Espírito Santo e, eventualmente, teria cometido uma ofensa grave contra Deus. Receio que então teria sido tarde demais para me arrepender. Neste ponto, vi o quanto eu precisava do julgamento de Deus e ser tratada para me proteger na estrada à frente. Embora na abordagem do julgamento e do castigo, de ser podada e tratada, senti que tinha perdido a luz dorosto e que isso era uma dificuldade, essa era a salvação de Deus. Eu estava disposta a aceitar mais desse tipo de trabalho de Deus.

Depois de experimentar aquele castigo e julgamento, meu estado mudou. Meu comportamento e conduta tornaram-se mais discretos, e entendi um pouco da obra de Deus, uma obra incompatível com as concepções humana. Mas logo, graças a outra revelação de Deus, vi novamente que meu entendimento era muito superficial. No início de agosto, fui promovida para trabalhar na região. No momento eu estava forte no espírito e secretamente fiz um juramento: “Deus, obrigada por me elevar e me dar uma incumbencia tão grande. Eu não quero falhar Tua confiança em mim, e eu quero fazer tudo em meu poder, e espero que Tu me guies e me lideres”. E então eu me atirei em um horário de trabalho ocupado. Todos os dias eu era confrontada com os muitos problemas que irmãos e irmãs suscitavam, aos quais eu tinha que responder, fornecendo orientação para cada um. Eu costumava ficar acordada até tarde, mas estava feliz em fazer isso. Às vezes eu me deparava com uma situação que eu não compreendia ou que não era clara, e eu orava a Deus e via sua liderança e orientação, e o trabalho fluía sem problemas. E involuntariamente eu novamente me tornei arrogante, pensando: eu sou muito boa, sou uma trabalhadora capaz. Um dia me deparei com várias dificuldades. Então, eu orei e ponderei sobre como limpar minha mente, e aí, aos poucos, ficou claro em minha mente como arranjar e lidar com esse trabalho: encontre a abordagem utilizada antes do incidente acontecer, preencha todas as postagens desocupadas e nomeie vários novos trabalhadores distritais, então o trabalho pode prosseguir sem problemas. Então eu escrevi para o meu líder para fazer essa sugestão e perguntar se era viável ou não. Enquanto eu escrevia a carta, pensei que o líder certamente pensaria que eu tinha assumido a responsabilidade e sou uma trabalhadora capaz. Aguardei uma resposta, esperando pelos elogios deles. Poucos dias depois, fiquei feliz em receber uma resposta, mas, ao abrir e ler me senti arrasada. O líder não apenas não me elogiou, a resposta estava cheia de tratamento e poda comigo, dizendo “Você não tem princípios para fazer isso, e se continuar assim, você irá atrapalhar a obra de Deus! Se os líderes de base podem lidar com seu próprio trabalho, deixe-os, se não apenas deixe-os de lado. Você deve realizar urgentemente devoções espirituais e escrever artigos…” Na época, eu estava obcecada com o certo e o errado e senti que tinha sidotratada mal: “Que tipo de líder é esse, que não resolve os problemas dos subordinados? Houve um incidente na nossa região, todo o nosso trabalho foi lançado em desordem: não precisamos de alguma organização? Se os líderes de base lidam com seu próprio trabalho, o que acontecerá com todas essas cartas?” Eu falhei completamente em não me examinar e estava tão chateada que eu reclamava com a minha irmã anfitriã, e até pensei: vou sair, se eu não sair eu serei um incomodo, eu tenho trabalhado tão duro e eu ainda sou um incomodo. Qual é o objetivo? No dia seguinte, eu me coloquei diante de Deus e examinei o que eu tinha revelado, pensando em como os sermões dizem que rejeitar ser podado e tratado mostra um fracasso em amar a verdade, e as pessoas que não amam a verdade têm uma natureza ruim. Então, conscientemente olhei para “O princípio de aceitar poda e tratamento”. Vi que as palavras de Deus diziam: “Algumas pessoas se tornam passivas após serem podadas e lidadas; elas se sentem fracas demais para cumprir seu dever e perdem sua lealdade. Por que isso acontece? Isso é parcialmente devido à falta de conscientização das pessoas em relação à essência de suas ações, o que resulta em não aceitar serem podadas e lidadas. É decidido pela natureza das pessoas de serem arrogantes e convencidas, de não amar a verdade. Também é parcialmente devido às pessoas não terem entendido o significado de serem podadas e lidadas, acreditando que isso determina o desfecho delas. Como resultado, as pessoas acreditam que, se desistirem de sua família, se despenderem para Deus e tiverem certa lealdade para com Ele, então elas não podem ser lidadas e podadas; se elas forem lidadas, isso não pode ser o amor e a justiça de Deus. Por que elas não aceitam ser podadas e lidadas? Para colocar claramente, é tudo porque as pessoas são muito arrogantes, convencidas e hipócritas; é porque não amam a verdade e são enganosas demais, e não querem sofrer dificuldades — só querem ganhar bênçãos do modo mais fácil. Elas não estão remotamente conscientes do caráter justo de Deus. Não é que Deus não tenha feito nada justo, é só que as pessoas nunca pensam que tudo que Deus faz é justo. Aos olhos humanos, se a obra de Deus não corresponder à vontade do homem ou se não corresponder ao que eles esperavam, isso significa que Ele não é justo. As pessoas nunca percebem que o que fazem não corresponde à verdade e que resiste a Deus” (de ‘O significado de Deus determinar os resultados das pessoas por seu desempenho’ em “Registros das falas de Cristo”). As palavras de Deus expuseram minha realidade interna. Eu não aceitava ser podada e tratada porque não entendia a natureza do que eu fiz. Eu pensei que não havia nada de errado no que eu fiz, mas meu trabalho e o cumprimento do meu dever se afastaram muito dos planos do trabalho, mas pensei que estava demonstrando devoção total. Pensei em como os arranjos de trabalho dizem que líderes e obreiros devem assumir o trabalho fundamental e essencial. No entanto, a minha visão era que todas as perguntas enviadas dos níveis mais baixos tinham que receber orientação e respostas, independentemente da dimensão do problema. Somente se os problemas fossem resolvidos, eu poderia me acalmar e realizar devoções espirituais. Quando enfrentado com os fatos, eu vi que eu não tinham me submetido absoluta e incondicionalmente aos arranjos de trabalho. Eu tinha muitas preocupações que não conseguia deixar de lado e era arrogante ao ponto de perder a razão. Deus estava usando o líder para lidar com coisas dentro de mim que não estavam de acordo com a vontade de Deus, para que eu entendesse a minha natureza de ir contra Deus, de trair Deus e Sua vontade: agora o ambiente é adverso. As devoções espirituais e os autoexames devem ser primários, e eu não devo focar apenas no trabalho. Mas eu não percebi que a natureza dos meus atos foi contra os arranjos de trabalho, e foi contra e resistiu a Deus. Eu estava obcecada com o certo e o errado. Eu falhei em entender o espírito, eu falhei em entender a obra de Deus. Então, lembrei novamente destas palavras em um sermão: “Não importa qual pessoa, qual líder, qual trabalhador pode e lide comigo, e não importa se isso está completamente de acordo com os fatos. Enquanto esteja parcialmente de acordo com os fatos, eu o aceito e obedeço, enquanto esteja parcialmente de acordo com os fatos, eu o aceito completamente; eu não apresento desculpas a outros nem digo que aceito uma parte, mas não o resto, e eu não apresento desculpas. Essas são as expressões de alguém que se submete à obra de Deus. Se você não se submeter desse modo às palavras de Deus e à obra de Deus, será difícil para você adquirir a verdade e será difícil para você entrar na realidade das palavras de Deus” (de ‘Como vocês devem comer e beber as palavras de Deus para alcançar resultados’ em “Sermões e comunhão sobre a entrada na vida I”). Sim, mesmo que as palavras do líder não correspondessem inteiramente à minha situação, eu deveria me submeter e aceitá-las. E em qualquer caso, o cumprimento do meu dever há muito teria ido contra os arranjos de trabalho. Eu não deveria ter sido mais rápida em submeter-me, aceitar e mudar? Mais tarde, quando eu tinha me aperfeiçoado um pouco e me acalmado, para me envolver em devoções espirituais, praticar artigos escritos, vi que o próprio Deus estava protegendo o trabalho Dele e que estava acontecendo de forma normal, sem demora.

Essas duas ocasiões de castigo e julgamento, de ser podada e tratada eram difíceis, mas me deixaram com mais compreensão de mim mesma e mudou rapidamente o meu estado. Mais tarde, vi que as palavras de Deus diziam: “Sua substância é bondade. Ele é a expressão de toda beleza e bondade e também de todo amor” (de ‘A substância de Cristo é obediência à vontade do Pai celestial’ em “A Palavra manifesta em carne”). “Ele o amaldiçoa para que você O ame e conheça a essência da carne; Ele o castiga para que você possa despertar, para que conheça suas deficiências interiores e conheça a absoluta indignidade do homem. Assim, as maldições de Deus, Seu julgamento, majestade e ira — são apenas para tornar o homem perfeito. Tudo o que Deus realiza hoje e o justo caráter que Ele realiza dentro de vocês — tudo é para tornar o homem perfeito e assim é o amor de Deus” (de ‘Somente experimentando provações dolorosas é possível conhecer a beleza de Deus’ em “A Palavra manifesta em carne”). Eu não pude deixar de suspirar: Sim, Deus é a expressão de toda beleza e bondade, Sua substância é a beleza e a bondade, Sua substância é o amor, então tudo que vem de Deus é bom e bonito, seja julgamento, ou castigo, ou se as pessoas, os eventos e as coisas ao nosso redor são usados para nos podar e tratar — isso pode parecer uma dificuldade ou um ataque à carne humana, mas o que Deus faz é benéfico para nossas vidas, é tudo salvação e amor. Mas eu não entendia Deus ou o Seu trabalho, nem vi Suas boas intenções. Quando confrontada com o julgamento e o castigo, ao ser podada e o tratada, resisti ameaçando deixar o meu trabalho, incapaz de aceitar isso de Deus, como se as pessoas estivessem me causando problemas. Através das duas revelações de Deus, vi que, apesar de comer e beber a palavra de Deus por muitos anos, ouvindo tantos sermões, meu impulso de revolta diante de julgamento e castigo, ao ser podada e tratada, era poderoso e eu rejeitei inteiramente. Eu pude ver que, apesar de acreditar em Deus durante todo esse tempo, meu caráter não havia mudado, a natureza de Satanás estava profundamente enraizada, uma natureza de resistencia e traição contra Deus. De repente, percebi que precisava de julgamento e castigo, sendo podada e tratada. Sem esse tipo de obra de Deus, eu não veria meu próprio rosto verdadeiro, eu não teria uma verdadeira compreensão de mim mesma, e muito menos perceberia como a natureza de Satanás estava profundamente enraizada dentro de mim. Somente agora entendo por que Deus diz que uma humanidade depravada é inimiga Dele e que somos descendentes de Satanás… Contemplando as palavras de Deus, meu coração ficou iluminado. Vejo como Deus providencia cuidadosamente para que eu experimente a Sua obra, para entrar na realidade da verdade, conduzindo-me à verdadeira senda da vida. Deus me levanta e me trata gentilmente. Eu também percebi que tudo o que Deus faz para o homem é o amor. No julgamento e o castigo de Deus, a poda e o tratamento são a maior necessidade do homem e a melhor salvação.

Conteúdo Relacionado

  • Toda palavra de Deus é uma expressão do Seu caráter

    Hu Ke Cidade de Dezhou, Província de Shandong Sempre que eu via estas palavras ditas por Deus, ficava ansiosa: “Cada sentença que proferi contém o …

  • Julgar pelas aparências é simplesmente absurdo

    Yifan Cidade de Shangqiu, Província de Henan No passado, muitas vezes eu julgava as pessoas pela aparência, tendo maior consideração por pessoas en…

  • Quem conhece o coração maternal de Deus?

    Em relação ao aspecto da verdade de que “Deus é justo”, eu costumava sempre ter uma compreensão um tanto absurda. Eu pensava que, quando alguém revelasse corrupção em sua obra ou cometesse transgressões que prejudicassem a obra da igreja, esta pessoa deveria sofrer retribuição, ou perder a sua função e ser submetida a punição. Esta é a justiça de Deus.

  • O que está por trás das mentiras

    Cada vez que eu via as palavras de Deus nos chamando para sermos pessoas honestas e falarmos com precisão, pensava: “Não tenho problema algum em falar com precisão. Não é só chamar uma espada de espada e dizer as coisas como elas são? Não é fácil? O que mais me aborrece nesse mundo são pessoas que gostam de enfeitar o palavreado”.